Topo Ir para conteúdo

Capela de S. Gonçalo

Rua Central, Covelas, 4785-027 Trofa

Apesar de ser um templo secundário, esta capela marcou com preponderância os modos de vida das populações que vivem ao seu redor. Erigida em honra de Deus e do santo, a ela acorrem os crentes, em datas festivas que também servem de referência às atividades dos calendários agrícola e religioso. Nesses dias, acorrem à capela inúmeros devotos, concretizando invocações, cumprindo promessas e realizando práticas religiosas e profanas singulares.

Desconhece-se a data de edificação desta capela. No entanto, já é referida nas Memórias Paroquiais de 1758, onde é dito que a ela acudia «algum povo a 28 de janeiro», dia da sua festa. Na fachada observa-se a inscrição «1893», ano em que sofreu uma grande intervenção.

Trata-se de uma capela de planta em cruz latina, composta por nave única, sacristia e sala da fábrica adossadas com capela-mor virada a nascente. O templo destaca-se na paisagem pela sua sobreposição ao núcleo de arquitetura vernacular que o envolve.

No domingo seguinte ao dia 19 de janeiro celebram-se, no local, as festas, religiosas e profanas, a São Gonçalo de Amarante. Tradicionalmente, a estas acorriam a pé, em grande número, romeiros de toda a região, atravessando os caminhos florestais, munidos de varapau. Na atualidade, além destes, acorre também à romaria grande número de cavaleiros e praticantes de desportos todo-o-terreno, em especial os ciclistas. Os mais devotos solicitam graças, cumprem promessas, oferecem ex-votos em cera e as raparigas solteiras puxam pela bengala do santo na esperança de arranjar namorado. As cerimónias religiosas incluem diversas eucaristias e uma procissão dominical. Nas festas profanas a comensalidade assume grande importância. No local instalam-se tabernas onde os romeiros provam vinhos verdes e carnes de porco, sobretudo rojões.

O Pe. Joaquim Antunes Azevedo refere que aqui se reuniam os fregueses que, todos os anos, eram obrigados «a ir fazer montaria aos lobos», o que atesta a existência transata desta espécie em Covelas. 

São Gonçalo de Amarante é uma das devoções mais concorridas de Portugal e do Brasil. Muitas das ermidas erigidas em sua honra estão associadas aos caminhos jacobeus já que os peregrinos a Santiago também passavam por Amarante para visitar o seu túmulo.