Topo Ir para conteúdo

“HOSPITAL DOS PEQUENINOS” VEM À TROFA PARA SENSIBILIZAR ALUNOS DO PRÉ-ESCOLAR

Atualidade
22 novembro, 2021
“HOSPITAL DOS PEQUENINOS” VEM À TROFA PARA SENSIBILIZAR ALUNOS DO PRÉ-ESCOLAR
“HOSPITAL DOS PEQUENINOS” VEM À TROFA PARA SENSIBILIZAR ALUNOS DO PRÉ-ESCOLAR

INICIATIVA DECORRE NOS DIAS 23 E 26 DE NOVEMBRO, NO SALÃO PAROQUIAL DO MURO, E TEM COMO OBJETIVO DESMISTIFICAR JUNTO DOS MAIS PEQUENOS O SIGNIFICADO DE ESTAR DOENTE

 

Nos próximos dias 23 e 26 de novembro, a Câmara Municipal da Trofa tem preparado para os alunos do pré-escolar do Concelho um “Hospital dos Pequeninos”, com o objetivo de desmistificar o significado de “estar doente”. A iniciativa terá lugar no Salão Paroquial do Muro.

Com o objetivo de dar a conhecer e desmistificar o significado de estar doente, a Câmara Municipal da Trofa dinamiza, nos próximos dias 23 e 26 de novembro, um “Hospital dos Pequeninos”. A iniciativa terá lugar no Salão Paroquial do Muro e é dirigida aos alunos do pré-escolar.

O “Hospital dos Pequeninos” pretende desafiar a criatividade do pensamento da criança, recriando, para isso, uma unidade de saúde simulada ajustada à sua perceção acerca de como funciona o ciclo da ação médica, desde a triagem, a consulta, o diagnóstico, as análises, os exames e a cirurgia.

Durante o percurso, todas as crianças terão contacto direto com o trabalho dos estudantes das mais diversas áreas de saúde da Universidade do Porto, os quais estarão preparados para desmistificar e prevenir comportamentos gerados por medos ou pela incompreensão do funcionamento do ambiente hospitalar, do diagnóstico e tratamento das doenças em geral e da importância do trabalho desenvolvido pelos profissionais de saúde em particular.

Para participar na atividade, cada criança deve trazer um peluche ou qualquer outro brinquedo que esteja ao seu alcance. No despertar da imaginação, vai ser pedido que considere que esse brinquedo, o “seu brinquedo”, esteja “doente”, e assim, para que possa ser salvo, vai ser a própria criança a responsável por transmitir quais os sintomas de doença que levaram à necessidade de consulta, de observação e cuidados médicos.

O desenvolvimento da iniciativa tem por base todas as regras e medidas sanitárias impostas pela Direção Geral da Saúde, nomeadamente pela mobilização de “grupos bolha”; distanciamento de segurança, segmentação dos espaços de cada circuito; limpeza e desinfeção das superfícies e espaços; desinfeção das mãos; ventilação do espaço e utilização de máscaras de proteção.

No final da atividade, o projeto representará uma oportunidade para as crianças participantes desmistificarem acerca do que entendem ser a necessidade de cuidados médicos e, ainda, uma oportunidade para o desenvolvimento de competências para os estudantes universitários envolvidos no projeto, dado que, no final da dinamização da atividade, também eles terão experienciado formas de interação com as crianças em contexto hospitalar, ainda que simulado.

A iniciativa foi pensada originalmente por uma organização constituída por Associações de Estudantes de Medicina da Europa – a European Medical Students Association (EMSA), a qual recolheu inspiração no “Teddy Bear Hospital”, projeto fundando na Áustria em meados da década de 90.