Topo Ir para conteúdo

Conjunto Edificado Religioso – Lagoa

Classificada como Imóvel de Interesse Público, a igreja matriz de Santiago de Bougado destaca-se no topo norte do Largo do Souto da Lagoa. Inaugurada em 1762, foi mandada construir a expensas de D. Diogo Mourato, Bispo de Miranda que aqui havia sido abade, tendo aplicado para a sua construção os rendimentos provenientes desta abadia, acumulados ao longo de anos. O projeto da igreja é de Nicolau Nasoni, à época um arquiteto que havia conquistado as entidades civis e religiosas portuenses e que por impulso de D. Diogo Mourato, personalidade de elevada cultura artística, é-lhe encomendada a obra de edificação da nova igreja de Santiago de Bougado.

Na sua fachada, rematada por duas torres sineiras, observa-se um medalhão com a seguinte inscrição: «TODO ESTE TEMPLO/ MANDOV. FAZER POR SVA/ GRANDE PIEDADE O EX.MO SR D. DI/ OGO MARQUES MOVRATO. AB.E Q. FOI DE/ STA IG.RA E BISPO DE MIRANDA TEMPO EM/ Q ERA AB.DELLA THOMAS BARBOZA DE/ SOVZA VIEIRA ANNO DE 1754/ E FOI MANDADO REFORMAR PEL/ LA FRE.A E PELLO AB.E. DAM.MA/ GASPAR BARBOZA PIM.TA E SOL/ ANNO DE 1817». No interior destacam-se a boa qualidade dos altares de talha dourada em estilo rococó e o órgão ibérico do século XIX, construído pelo mestre organeiro Manuel de Sá Couto.

O cruzeiro, implantado no centro do largo do Souto, data de 1857. Do lado norte do cruzeiro encontra-se a mesa de audiência da antiga Confraria do Subsino. Originalmente situada do lado esquerdo da porta principal da igreja, era nesta mesa que a assembleia da confraria reunia. Até à divisão de competências civis das religiosas, no séc. XIX, era a Confraria do Subsino que representava a freguesia perante o pároco e entidades exteriores, através de um poder executivo composto por membros que eram eleitos por maioria. Deste poder executivo faziam parte o juiz, o escrivão e os mordomos.